• ClienteSesc Pompeia
  • Data2020
  • LocalSão Paulo, Brasil

Novo formato e projeto gráfico para os livretos de 2020 das tradicionais Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia.

Contexto
As Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia existem desde o início da década de 80 com o intuito de democratizar a arte através de cursos dos mais variados temas: de marcenaria a bordado; de histórias em quadrinhos a fotografia analógica. O projeto arquitetônico da Lina Bo Bardi foi pensado de modo a construir um espaço plural que una as técnicas manuais do artesanato e possibilite que todos possam criar, experimentar e, literalmente, botar a mão na massa, em um aprendizado que privilegia o processo criativo.

Desafio
Além da identidade visual para os cursos de 2020, deveríamos criar um novo formato para o material. Os livretos deveriam estimular seu uso ao longo do ano, e não só no momento de inscrição nos cursos. Para isso, funcionalidades como calendário, páginas de anotações e informações de inscrição deveriam assumir pesos distintos nos livretos.

Solução
Inspirados pelo projeto arquitetônico que revela a materialidade escondida por trás do acabamento de suas superfícies, buscamos formatos e materiais que causassem sensações semelhantes. Propusemos um material de fácil montagem e desmontagem, para que a pessoa possa inserir materiais de estudo e acompanhamento dos cursos, e retirar informações que não são relevantes depois de sua inscrição (como informações sobre as demais oficinas). As informações sobre inscrições estão em destaque em um encarte anexo à capa, que só pode ser lido ao se desmontar o material – induzindo as pessoas a se apropriarem do objeto logo no início de seu contato com ele. Para a identidade visual, escrevemos a palavra “OFICINAS” em uma fonte com características que fazem alusão ao projeto arquitetônico do espaço – fonte que utilizamos também para os títulos das atividades –, imprimimos diversas cópias dessa palavra e as recortamos, colamos, ateamos fogo, e reconstruímos as palavras de diferentes modos, numa alusão ao processo de experimentação proporcionado pela forma como o Sesc lida com esse tipo de atividade em seu espaço.